O desafio de impor limites aos filhos pequenos durante o isolamento

Impor limites a crianças pequenas
Foto ilustrativa

Os pais não devem ter medo de impor limites aos filhos pequenos.

Impor limites aos filhos pequenos é uma tarefa difícil, independente dos pais serem de primeira viagem ou não. E não ache que você está sozinha nesta situação.

Esta preocupação dos pais e responsáveis se tornou muito recorrente em sets terapêuticos e em seções de coaching. Quem afirma isso é a jornalista e coach comportamental com especialização em análise de perfil e neurociência comportamental, Stella Azulay.

E com o isolamento social, imposto pela pandemia causada pelo coronavírus, a situação é ainda pior, pois o momento traz a tona muitas questões relacionadas à convivência em família.

Uma delas é como manter a casa em harmonia com a presença constante de todos no mesmo ambiente. Alguns comportamentos dos pequenos passam a ser repetitivos e desafiadores para os pais. Aí surge a questão do impor limite, principalmente se a criança for muito pequena.

Sim, parece um tanto indelicado repreender crianças muito novinhas. Os pais podem achar que as crias estão em uma fase “fofa”, divertida e de descobertas. Mas desde muito cedo as crianças precisam saber a importância da palavra não e que existem comportamentos que não serão aceitáveis.

O que as mães dizem

A coach conta que costuma ouvir relatos de mães com filhos entre um e dois anos de idade que se mostram altamente manipuladores, que sabem como conseguir o que querem e também já reconhecem a personalidade dos pais: sabem quem é o mais fraco, o mais persuasivo, quem cederá aos seus desejos com mais facilidade.

“Colocar limite depende muito da expressão certa, tanto facial quanto de voz. Apesar das crianças pequenas ainda não usarem as palavras para dizer o que querem, elas entendem muito bem as expressões faciais. Em momentos de repreensão, por algo errado, é muito importante passar firmeza na mensagem, inclusive na entonação da voz”, orienta Stella.

A questão é que a falta de postura dos pais ou responsáveis faz com que as crianças criem a ideia de que tudo o que elas fazem é permitido e livre de repreensão. Quando chega a esse ponto é muito mais complicado estabelecer regras, mostrar o que é certo e o que é errado.

É importante também que os pais estejam alinhados entre si. Não vale um proibir e o outro permitir. Essa postura inadequada pode causar uma grande confusão para uma criança que já não entende bem as regras de comportamento. Além disso, fará com que ela perca o respeito pelos pais.

E o mais importante, os pais não devem ter medo de repreender seus filhos, de exercerem a paternidade responsável desde muito cedo.

“Não tenha receio de parecer cruel ou mau aos olhos da criança. Elas não irão crescer traumatizadas pela imposição de limites. Muito pelo contrário. Sou mãe de quatro filhos e, em casa, eles sempre souberam quais eram as regras. Isso foi muito saudável para a construção do caráter e da personalidade deles no decorrer da vida”, conclui Stella.

Veja também:

Acompanhe as notícias do Maternidade Moderna também nas redes sociais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui