O bebê chegou. Prepare-se, sua rotina mudará radicalmente

    Bebê
    Foto: Shopify Partners

    A rotina começa a mudar ainda na gestação.

    O teste de farmácia deu positivo. Só para confirmar você faz um exame de sangue BCG. Confirmado! Tem um bebê a caminho. Gestação planejada ou não, a única coisa certa é que daqui a alguns meses uma nova vida fará parte da sua família. E tudo vai mudar.

    As mudanças começam a partir do momento em que a gestação é confirmada. A mulher pode começar a se perguntar sobre seu novo papel, seu corpo, ao mesmo tempo em que tem enjoos e cansaço que não sentia antes.

    “A rotina deve ser reavaliada e adaptada à nova realidade, pois com o nascimento do bebê, também surgem novas responsabilidades”, pondera Elaine Gouvêa, Personal Organizer especialista em Baby Planner.

    #partiumaternidade

    Chegou o grande dia! Você entrou em trabalho de parto ou chegou para a cesária agendada. Seja qual for o tipo de parto, em algumas horas seu pequeno milagre estará em seus braços.

    A sensação é indescritível. É uma montanha russa de emoções e a jornada está só começando.

    Um bebê precisa (e exige) zelo e atenção. Estes cuidados demandam muito tempo e dedicação por parte da família, principalmente da mãe. Ao mesmo tempo que se recupera do parto precisa aprender amamentar. Sim! Por mais que seja um processo natural, é cansativo e, muitas vezes, doloroso no início, até que tudo entre no ritmo.

    “Com o nascimento e, ao ter contato com aquele ser tão pequeno, o que mais ouço é que os sonhos, os desejos e as preocupações, se transformaram completamente”, explica Elaine Gouvêa.

    A família cresceu

    A chegada de um bebê sempre impacta muito a dinâmica familiar. As mudanças são materiais, na rotina, mas principalmente na atenção, afinal todo mundo se volta para o bebê.

    Isso não é proposital, afinal um recém nascido demanda cuidados básicos, necessários para sua própria sobrevivência. Neste caso, os filhos mais velhos tendem à ficar à parte nesta relação.

    “Pressupõe que o filho mais velho já não demanda dos mesmos cuidados básicos de sobrevivência como o recém nascido, mas que este continua necessitando de outras formas de atenção como por exemplo auxiliar a nomear emoções, deveres de casa, companhia nas brincadeiras, presença física entre outros”, explica Michelle Ap. dos Santos, psicóloga do Serviço de Apoio Psicopedagógico da PUCPR Câmpus Maringá.

    É uma nova e desafiadora fase para todos. As crianças devem se sentir parte deste momento e tudo deve acontecer de forma natural. É fundamental que a família diga aos filhos o quanto eles são amados, e que o coração deles ficará com mais amor após a chegada do bebê.

    A dica é que algumas necessidades de compra para os filhos mais velhos feitas junto com a compra do enxoval para o bebê. Por exemplo, se precisar comprar um jogo de lençol para o filho mais velho, compre junto com os lençóis do bebê.

    Outra dica é que os pais peçam para os filhos escolherem algo que eles queiram dar ao bebê, e comprar algo que o bebê possa dar aos irmãos mais velhos, no primeiro encontro que tiverem.

    Dicas valiosas

    A Personal Organizer especialista em Baby Planner listou sete dicas valiosas para que esse processo se torne o mais natural possível:

    1) Sempre que possível tente aproximar e fortalecer a relação entre os irmãos: faça ensaios fotográficos com os irmãos, revele as fotos e pendure pela casa, faça um desenho ou ilustração envolvendo os irmãos ou a família completa;

    2) Deixe que o irmão mais velho carregue, abrace, beije e cheire o bebê, com sua supervisão e cuidado;

    3) Peça a colaboração para organizar as coisas do bebê;

    4) Dê um boneco ou boneca para representar o bebê que seu filho deverá cuidar junto com você;

    5) Faça atividades lúdicas, artísticas e criativas com seu filho mais velho e garanta tempo de muita qualidade quando estiverem juntos;

    6) Olhe nos olhos de seu filho e diga o quanto o ama e o quanto ele é importante para você e para o bebê;

    7) E o mais importante: escute o que seu filho está querendo dizer. Isto nem sempre será através de palavras, muitas vezes será por meio de comportamentos. Quando isto acontecer busque a sintonia existente entre vocês. Acolha, entenda e converse sobre o ocorrido. Estas são algumas dicas, entre outras formas que os próprios pais poderão buscar dentro da rotina familiar.

    Veja também:

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui