Não é recomendado que crianças com menos de 5 anos usem máscara de proteção

Uso de máscara de proteção
Imagem de Guillermo Descortés por Pixabay

A OMS e o Unicef divulgaram novas recomendações sobre o uso de máscara de proteção.

A Organização Mundial da Saúde – OMS e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) divulgaram, no dia 21 de agosto, novas orientações sobre o uso de máscaras de proteção, como medida de prevenção ao coronavírus em crianças.

De acordo com os órgãos, não é recomendado que crianças com menos de 5 anos usem a máscara por conta da falta de maturidade e discernimento para tirar o EPI num eventual problema ou manusear o objeto de forma correta.

O movimento de tirar e colocar a máscara várias vezes ou segurá-la pela frente (e não pelo elástico) pode levar a riscos maiores de contaminação. Portanto, para essas crianças, andar sem máscara pode ser menos prejudicial, se adotadas todas as outras medidas, como distanciamento social, higiene correta das mãos, etc.

O uso de máscaras também não é recomendado para crianças com deficiências intelectuais, distúrbios de desenvolvimento ou outras condições de saúde específicas.

Uso de máscara de proteção por crianças de 6 a 11 anos

O uso de máscaras de proteção por crianças entre 6 e 11 anos depende de uma série de fatores, incluindo a intensidade de transmissão na área, a habilidade da criança em usar a máscara, o acesso a máscaras e a supervisão adequada de um adulto.

Mas de maneira geral, nesta faixa etária, as crianças podem optar por usar as máscaras.

O impacto potencial na aprendizagem e no desenvolvimento psicossocial e as interações que a criança mantém com pessoas com alto risco de desenvolver doenças graves são riscos que devem ser avaliados quando ao uso ou não de máscaras.

“A minha opinião como pediatra é: se o seu filho está habituado ao uso da máscara e faz de maneira correta, não há problemas em manter. Porém, deve-se observar as questões mencionadas acima, como atraso no desenvolvimento neuropsicomotor”, ressalta a diretora médica e pediatra do Cedic Cedilab – que integra a Dasa, Dra. Natasha Slhessarenko.

É importante ressaltar que crianças com deficiência, paralisia cerebral ou problemas respiratórios, como a asma, não devem usar máscara por conta do risco de asfixia ou contaminação. Quando a criança pratica alguma atividade física também é recomendado que não use máscaras.

Os benefícios do uso de máscaras em crianças devem ser pesados contra os riscos potenciais associados ao seu uso, desde segurança, desconforto, risco de contaminação.

Uso de máscara de proteção por crianças a partir de 12 anos

Nesta faixa etária é recomendado o uso de máscara de proteção nas mesmas condições que os adultos, principalmente quando não podem garantir uma distância de pelo menos um metro das demais e se a transmissão é generalizada na área em questão

É importante ressaltar que, independente da idade, o uso inadequado da máscara, induz a uma falsa sensação de proteção e esse fato pode gerar um maior risco de contaminação e transmissão, por esse motivo, as orientações da OMS são pertinentes e devem ser seguidas.

“Os benefícios do uso de máscaras em crianças devem ser pesados contra os riscos potenciais associados ao seu uso, desde segurança, desconforto, risco de contaminação”, completa a Coordenadora do Pronto Socorro Infantil e da Unidade de Internação Pediátrica do Hospital Sepaco, Dra. Talita Lodi Rizzini.

O acesso a máscaras, o fato de lavá-las e a supervisão de um adulto também são questões fundamentais, segundo a agência internacional.

Dicas para cuidados com as máscaras de proteção

A Sociedade Brasileira de Pediatria – SBP, também tem orientações sobre o uso de máscaras por crianças e adolescentes. Separamos algumas dicas de cuidados com as máscaras:

  • Adquirir máscaras de acordo com o tamanho do rosto da criança ou adolescente e certificar que está confortável;
  • Lavar com água e sabão abundantes e/ou deixar de molho em solução de água sanitária (1 colher de sopa para 500ml de água) por 30 minutos;
  • Após a secagem, passar ferro quente, de ambos os lados, armazenando em saco plástico limpo;
  • Caso a máscara caia no chão durante o uso, ela deverá ser substituída por outra limpa, imediatamente.

Veja também:

Acompanhe as notícias do Maternidade Moderna também nas redes sociais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui