Kimberly-Clark incentiva presença de mulheres em cargos de liderança

Kimberly-Clark incentiva presença de mulheres em cargos de liderança. Imagem: Rawpixel

Programa foi pensado para mapear talentos femininos do mercado e que possam incentivar a presença de mulheres em cargos de liderança

A Kimberly-Clark, multinacional norte-americana de produtos de higiene pessoal, comemora avanços em equidade de gênero no Brasil sobretudo na liderança, com o Programa Women in Leadership, que incentiva a presença de mulheres em cargos de liderança. 

A companhia encerrou 2020 com 41% de mulheres nas posições de liderança. No período, a multinacional ainda anunciou Andréa Rolim como a primeira Presidente mulher para a operação brasileira. 

Com a chegada da executiva, a porcentagem de mulheres ocupando os cargos de diretoria chega a 50%.  

A iniciativa está atrelada a meta da global da K-C em atingir os 50% de mulheres em posição de liderança nos próximos anos.

Para alcançar tal resultado, a empresa investe em conscientização e treinamentos sobre equidade de gênero, além de adotar políticas concretas de contratação que aumentam a representatividade feminina no quadro de colaboradores. 

Entre elas está a regra de que todas as vagas para cargos gerenciais precisam ter uma mulher na lista final de candidatos e o recém-criado Women in Leadership (WIL), projeto que auxilia na prospecção de candidatas nos processos seletivos da companhia.   

Programa desenvolvido especialmente para elas

A proposta é ter um amplo mapeamento de mulheres talentosas e com potencial de trazer ricas experiências de mercado para a K-C à disposição do time de recrutamento e seleção e, assim, garantir sempre a presença de candidatas para os processos seletivos.   

Todo esse esforço gerou significativos avanços. De todas as contratações feitas em 2020, 50% foram de mulheres. Quando se trata especificamente de posição de liderança, 78% das oportunidades foram preenchidas por elas. 

De acordo com Natalia Taglieri, gerente de gestão de talentos da Kimberly-Clark, o programa promove, principalmente, uma sociedade mais justa.

“Além de aumentar o número de mulheres na liderança, ganhamos perspectivas mais diversas, impulsionando a inovação no nosso negócio e ajudando a quebrar estereótipos e eliminar rótulos para futuras gerações”, destaca a profissional. 

A Kimberly-Clark também tem como foco proporcionar um ambiente em que seus profissionais, sejam mães ou pais, consigam equilibrar seus papeis profissionais e pessoais. 

Dessa forma, a companhia visa acomodar as necessidades familiares dos colaboradores, e assim, permitir que que não seja necessário que mães abandonem ou pausem suas carreiras, buscando sempre o fluxo contínuo e ascendente das trajetórias profissionais de cada uma.  

Estratégias sob medida

No cenário de pandemia, novas estratégias foram adotadas para ajudar os colaboradores a conciliar o trabalho e a rotina familiar, principalmente o cuidado com os filhos.

Com todo o time administrativo trabalhando em regime de home office desde março de 2020, a K-C criou “regras de ouro”, a fim de propor uma rotina de trabalho mais flexível e empática.

Entre as regras, estão pontos que são cruciais na vida materna no meio do home office, como:

  • evitar agendamento de reuniões nas sextas-feiras à tarde e na hora do almoço; 
  • prever intervalos entre reuniões, para que o colaborador possa dar atenção aos filhos;
  • sexta-feira curta;
  • flexibilização ainda maior do horário de trabalho.   

O programa hoje é adotado em diversos países onde a Kimberly-Clark atua na américa Latina – além de Brasil, está presente na Argentina, Colômbia, Costa Rica e Peru.   

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui