Introdução Alimentar: veja como oferecer alimentos para seus pequenos

Foto: ilustrativa

A partir de seis meses começa o período de Introdução Alimentar.

A Introdução Alimentar deve começar a partir dos seis de vida do bebê. Antes desta idade a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o governo brasileiro recomendam a amamentação exclusiva, ou seja, sem água, chás ou sucos.

Se não for possível amamentar com leite materno, o recomendado é o uso de fórmulas infantis, que são elaboradas especialmente para suprir as necessidades dos pequenos. Mas antes de introduzir a fórmula consulte o pediatra e o nutricionista, conheça as opções e entenda se encaixa à sua realidade e à necessidade do seu bebê.

O Maternidade Moderna tem uma matéria super completa sobre amamentação, que pode ser acessada neste link, vem conferir!

A partir de seis meses começa o período de Introdução Alimentar – AI. Mas atenção, não basta atingir a idade mínima para o bebê começar a ingerir alimentos, é preciso que a criança tenha sinais de prontidão, como sentar sem apoio, sustentar a cabeça, levar a mão ou objetos à boca e mostrar interesse pelos alimentos. 

Os bebês prematuros iniciam a introdução alimentar complementar considerando a idade corrigida e não a idade cronológica do nascimento.

Como é o processo de Introdução Alimentar

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, em cada faixa etária é preciso oferecer a alimentação de uma maneira. Veja o esquema:

Faixa etáriaTipo de alimento
Até o 6º mêsLeite materno exclusivo
Do 6º ao 24º mêsLeite materno complementado
No 6º mêsFrutas (amassadas ou raspadas). Primeira papa da refeição principal (com ovo inteiro cozido e peixe)
Do 7º ao 8º mêsSegunda papa principal
Do 9º ao 11º mêsGradativamente, passar para a refeição da família com ajuste da consistência
No 12º mêsComida da família (observar adequação)

De acordo com a nutricionista Talita Bux Abage, as frutas são indicadas para iniciar a Introdução Alimentar complementar por serem mais doces, o que facilita a aceitação. “Mas isso não é uma regra. Se a família quiser oferecer algum legume, pode oferecer”, ressalta a nutricionista.

O ideal é, no início, oferecer uma porção de fruta pela manhã ou tarde e escolher uma opção de fruta que seja fácil de amassar, como banana e mamão. Não existe ordem para oferta das frutas, o indicado é variar nas opções.

Outra informação importante é que nenhuma fruta é contraindicada, a não ser a carambola nos casos de insuficiência renal.

Quanto a papinha principal, que antes era chamada de papinha salgada, deve ser oferecida aos 6 meses de vida no almoço ou jantar. O ideal é que o papa principal seja composto por pelo menos um alimento de cada grupo alimentar.

“A recomendação é que os alimentos sejam oferecidos separados para que a criança conheça os novos sabores”, explica Talita. 

A partir dos 6 meses é possível incluir preparações como pães e bolos que não tenham açúcar, leite e derivados como ingredientes. Mas é importante frisar que essas preparações devem ser oferecidas esporadicamente.

Janela Imunológica

Janela imunológica é o período em que a criança deve ser exposta a determinados alimentos considerados alergênicos, para reduzir as chances de desenvolver uma alergia futura.

Um exemplo é o ovo, antes era recomendado que fosse oferecido por volta de um ano de idade, mas hoje a recomendação é que, tanto a clara quanto a gema, sejam oferecidos aos 6 meses.

Outros exemplos de alimentos que podem ser oferecidos são frutos do mar e oleaginosas.

Abaixo apresentamos três métodos de alimentação com os pequenos:

Método BLW

Muito falado nos dias atuais, o Método BLW (Baby-led Weaning ), que significa “desmame guiado pelo bebê”, trata-se de um método de introdução alimentar na forma de sólidos e não papinhas.

A nutricionista Talita explica que nesta técnica o bebê pega o alimento e leva à boca sozinho. O alimento precisa estar macio o suficiente para que o bebê possa mastigar com as gengivas e firme o suficiente para que não se desmanche em suas mãozinhas. 

O corte dos alimentos é adaptado conforme o bebê tenha mais idade, como por exemplo, aos 6 meses a criança pega os alimentos com o punho fechado e aos 9 já faz movimento de pinça.

Hoje quero falar um pouco convosco sobre o passar da teoria à prática. O bebé está pronto para iniciar a alimentação complementar, a família pretende utilizar o método Baby Led Weaning (BLW) e agora como vão fazer isso? Vejo muitos pais que ouviram falar em BLW, acham a ideia, de alguma forma, interessante mas pelos …
Foto: Pinterest

Método BLISS

O BLISS (Baby-Led Introduction to Solids), ou Introdução aos Sólidos Guiada pelo Bebê, é semelhante ao BLW, mas nele é frisado a importância de oferecer ao bebê um alimento rico em ferro e outro alimento de alta densidade energética, em todas as refeições.

Os alimentos oferecidos devem ser preparados de forma adequada para a idade e desenvolvimento da criança, de modo a reduzir os riscos de engasgo.

Método participAtiva

É um meio termo entre o BLW e o método tradicional (papinhas). Nele a criança pode explorar e comer os alimentos com a mão, e os pais oferecem o alimento também com a colher. 

Dicas Importantes

A Introdução Alimentar é um grande marco na vida das crianças e motivo de grande ansiedade para os pais.

Esse processo deve ser o mais natural possível, por isso, para ajudar os pais, a nutricionista Talita dá as últimas dicas:

  • No método de introdução alimentar tradicional, os alimentos devem ser amassados para oferecer ao bebê e nunca liquidificados e/ou peneirados;
  • Não usar temperos industrializados e sim temperos naturais para fazer as comidinhas, como alho, cebola, orégano, manjericão, salsinha, cebolinha, entre outros;
  • Não se preocupar com a quantidade de alimento que o bebê aceita, pois ele ainda está conhecendo o mundo dos alimentos. Terá dias que irá comer bem, outros nem tanto;
  • No momento em que oferecer comida ao bebê, é importante que o ambiente esteja tranquilo, sem distrações;
  • E nunca forçar a criança a comer. O momento da alimentação deve ser prazeroso e não de estresse.

Veja também:

Acompanhe as notícias do Maternidade Moderna também nas redes sociais.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui