Hora Dourada: a importância desse momento para a mãe e para o bebê

Hora dourada traz benefícios para a mamãe e o bebê!
Contato pele a pele entre mãe e bebê e o estímulo à amamentação estão entre as iniciativas da hora dourada! Imagem: Freepik

A Hora Dourada garante maior vínculo entre mãe e filho e ajuda na produção de leite

A Golden hour, ou hora dourada, é o nome dado a uma série de cuidados humanizados que são realizados para receber bem o bebê e integrá-lo rapidamente com a mamãe em sua primeira hora pós-parto.

Nesse período precioso, o bebê é colocado ao seio materno para ter o contato pele a pele com a mãe e fazer sua primeira sucção.

Mais do que isso, a Hora Dourada inclui uma série de cuidados humanizados que são realizados para receber bem o bebê e integrá-lo rapidamente com a mamãe.

E esses são momentos cruciais para o vínculo emocional e para a saúde de ambos.

O contato pele a pele com a mãe e o estímulo à amamentação estão entre as iniciativas dessa hora mágica.

O nome com glamour faz sentido, porque esses são momentos cruciais para o vínculo emocional e para a saúde de ambos. A Hora Dourada pode acontecer desde que a mãe e o bebê estejam bem.

De acordo com a pediatra e neonatologista do Hospital e Maternidade Santa Joana, Dra. Clery Bernardi Gallacci, a sucção na primeira hora de vida contribui para o sucesso da amamentação.

Ainda segundo a profissional, tal ato colabora com o aumento da produção de leite e a ligação entre mãe e o bebê.

O acompanhante da nova mãe também pode estar por perto, auxiliando na acolhida e iniciando um vínculo que durará a vida toda.

Preparação física

Como mencionado anteriormente, a Hora Dourada só é possível desde que a mamãe e o bebê estejam bem. Para isso, a mamãe deve seguir todas as recomendações médicas durante a gravidez.

Além disso, a Dra. Clery ainda explica que é muito importante conhecer a anatomia das mamas. “As lactantes irão sentir e observar que haverá aumento progressivo do volume dos seios”.

Entendendo a amamentação

Ao contrário do que muita gente imagina, o leite não “aparece” de um momento para outro. “Inicialmente haverá a produção de colostro, rico em proteínas e anticorpos”.

A segunda etapa é uma fase de transição até a segunda semana, “quando o leite passa a ser mais gorduroso e rico em lactose”.

A terceira etapa acontece após os primeiros 15 dias de vida do bebê, quando o leite ganha outra classificação, e começa a ser chamado de leite maduro.

Como se preparar para a Hora Dourada?

De acordo com a pediatra, as gestantes podem (e devem, né?) se preparar por meio do conhecimento científico sobre amamentação com fontes informativas confiáveis.

Muitos hospitais têm grupos específicos para ajudar nesse momento. As maternidades do Grupo Santa Joana, por exemplo, oferecem diversos materiais e cursos sobre aleitamento materno em seus sites.

Além disso, durante as consultas do pré-natal a gestante pode tirar suas dúvidas com o obstetra que a está acompanhando.

A profissional ainda recomenda uma consulta com o futuro pediatra no último trimestre de gestação para orientações.

Todos os conselhos médicos podem contribuir para o sucesso da hora dourada.

Dificuldades da amamentação

O bebê pode ter seu momento com a mãe na chamada hora dourada. Mesmo com todos os benefícios que ela traz, nada garante o sucesso imediato na ‘pega’ correta.

Essa é uma das grandes dificuldades da amamentação.

No caso de bebês prematuros, há ainda a possibilidade de uma sucção descoordenada, dificultando o processo. Neste caso, pode ser necessário contar com um acompanhamento especializado.

Mães de primeira viagem também podem ter dificuldades para posicionar o bebê no seio. Algumas mamães talvez necessitem de assistência profissional por ter mamilos que precisem de atenção.

Entretanto, como explica a pediatra, “cada caso deve ser avaliado individualmente. Além disso, o apoio de toda equipe de saúde envolvida, familiares e da sociedade são importantes para que a amamentação seja realizada com sucesso”.

Mas vale lembrar que esse tipo de incidente pode acontecer, e faz parte do processo geral da amamentação, não apenas da hora dourada.

Afinal de contas, a nova mamãe e também o bebê estão aprendendo algo novo (que, vale lembrar, é novo para ambos!), e só a prática, literalmente, que leva à perfeição nesse caso.

“O ato de amamentar é um processo contínuo, que começa durante a gravidez e no momento do nascimento”, explica a profissional.

Nos dias em que a nova mamãe e o bebê permanecem internados na maternidade, a boa assistência dos profissionais de saúde é de vital importância e contribui muito para todo o processo.

O conselho final da pediatra é simples: “Após a alta, é fundamental que a mãe tire todas as suas dúvidas com o pediatra que está acompanhando o bebê”.

Vale lembrar que a rede de apoio também é essencial para o sucesso da amamentação!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui