Covid-19: saiba quais são os sintomas nas crianças

Covid-19 em criança
Máscaras são usadas para prevenir a transmissão da Covid-19.

É importante entender os sintomas da Covid-19 para procurar ajuda médica sempre que necessário.

A vacina contra a Covid-19 chegou, mas ainda não é para todo mundo. De acordo com dados compilados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), obtidos nos estados e municípios brasileiros até 31 de janeiro, com a vacinação no ritmo que está, toda a população brasileira será imunizada até 2025. Ou seja, vamos conviver muito com o vírus.

Por isso é importante entender os sintomas para procurar ajuda médica sempre que necessário.

Diferentemente dos adultos, a maioria das crianças tem um quadro leve ou moderado quando infectadas. Existem algumas explicações para isso. Uma delas é de que as crianças possuem menos “portas de entrada” para o vírus em seu organismo. E a outra é que a resposta imunológica não é muito agressiva – diferente do que ocorre em alguns casos graves nos adultos.

De acordo com a Dra. Camila Almeida, infectologista do Hospital e Maternidade Santa Joana, os sintomas respiratórios como coriza, espirros, febre, tosse, dor de ouvido, dor de garganta e dor de cabeça devem ser observados pelos pais.

Já crianças com quadros gastrointestinais, como vômitos e diarreia, podem ser comuns. O cuidado, geralmente, é baseado no alívio de cada sintoma por meio do uso de antitérmicos e analgésicos. Não há nenhum tratamento específico para a COVID-19.

“Geralmente não é necessário levar a criança ao pronto atendimento, mas os pais devem ficar atentos aos sinais de alarmes, como febre persistente há mais de 72 horas, febre alta que não cede após medicação, recusa de alimentos e de líquidos, além da dificuldade para respirar (respiração ofegante). É importante que as crianças que tenham problemas de saúde prévios (cardíacos, renais, pulmonares, entre outros) sejam avaliadas por um médico”, explica a infectologista.

Por isso é sempre importante consultar o pediatra do seu pequeno sobre qualquer sintoma e só o leve até o pronto atendimento ou para fazer exames se for indicado por um profissional.

Se meu filho testar positivo para Covid-19, o que faço?

Pacientes com diagnóstico da Covid-19 devem ser mantidos em isolamento, preferencialmente, afastados dos demais familiares.

Defina uma pessoa para cuidar diretamente da criança com Covid-19. Ah, não se esqueça que essa pessoa deve usar máscara o tempo todo.

Assim é possível evitar que as outras pessoas da casa sejam expostas ao vírus. É necessário, ainda, fazer um reforço das medidas de higiene do ambiente e intensificar a higienização das mãos por todos os familiares.

E se a mãe testou positivo para Covid-19, pode amamentar?

Ainda segundo a Dra. Camila Almeida, não há nenhuma contraindicação ao aleitamento materno, porém é necessário manter alguns cuidados, como o uso de máscara pela mãe durante a amamentação e o uso de álcool gel ou lavagem das mãos antes do contato com o bebê. “É recomendado também que a mãe amamente em silêncio para evitar a dispersão de gotículas enquanto fala”, ressalta a especialista.

Como prevenir a transmissão do vírus entre as crianças

As medidas de prevenção são as mesmas, vamos relembrar?

  • manter o distanciamento social de dois metros;
  • lavar as mãos frequentemente com água e sabão ou utilizar álcool em gel;
  • desinfetar as superfícies e objetos que são utilizados com maior frequência;
  • evitar tocar os olhos, boca e o nariz;
  • utilizar máscara com supervisão frequente dos pais.

Máscaras? Crianças podem usar máscaras?

Veja abaixo mais sobre o assunto.

Mitos e verdades sobre o uso de máscaras por crianças

Apenas maiores de 18 anos receberão as doses da vacina. De qualquer forma, até a pandemia acabar 100% (o que vai demorar muito ainda), o uso da máscara continuará sendo obrigatório. 

A Pediatra Dra. Felícia Szeles, esclarece mitos e verdades sobre o tema: 

Crianças assintomáticas não precisam usar máscara.
MITO. A maioria das crianças são assintomáticas e sabemos que transmitem menos que os adultos, mas ainda assim são disseminadoras do vírus. Por isso, o uso da máscara é obrigatório. 

Bebês não devem usar a máscara.
VERDADE. A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Academia Americana de Pediatria (AAP), recomendam o uso apenas para maiores de dois anos, já que antes dessa idade existe o risco de sufocamento. 

Todas as crianças podem usar a máscara a partir de dois anos. 
MITO. Apesar da SBP e a AAP recomendarem a partir dos dois anos, só o Pediatra que faz o acompanhamento poderá indicar o melhor. Cada criança tem uma particularidade de desenvolvimento cognitivo e de doenças que podem ser prejudicadas com o uso da máscara, como doenças neurológicas, e asma. 

Todos os adultos devem usar a máscara juntos com as crianças.
VERDADE. A criança tem sempre como referência as pessoas que mais convive, por isso, o exemplo é fundamental na hora de explicar a importância de se proteger com a máscara. 

“Sei que nem sempre é fácil mostrar para a criança a importância de usar a máscara, principalmente as mais velhas, que já têm a memória de não precisar usar. Por isso, uma dica é fazer essa adaptação de forma lúdica, dentro de casa, que é um ambiente seguro. E quanto mais tratarem a máscara como algo leve e divertido, menores as chances de resistência”, completa a Dra. Felícia.

Veja também:

Acompanhe as notícias do Maternidade Moderna também nas redes sociais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui