Como organizar as finanças durante a maternidade

Dinheiro e gestação
Se você está grávida, ou pensando em ficar, e não tem um planejamento financeiro, confira as dicas aqui. Foto: De Gdakaska por Pixabay

Planejamento financeiro é algo primordial para se ter qualidade de vida, e se você
está grávida, é o momento certo para começar a organizar as finanças.

Estou grávida, e agora? Esse questionamento vem sempre na cabeça de toda
mulher, depois da alegria de saber que será mamãe.

Mesmo que você não seja vidrada em dinheiro, ele faz parte de todos os momentos
de sua vida.

Então se você está grávida, ou pensando em ficar, e não tem um planejamento
financeiro, fique conosco e te darei dicas importantes.

Finanças e Maternidade

Há quem não queira acreditar, mas a maternidade envolve muito o seu lado
financeiro.

A chegada de mais um membro na família requer preparo, começando pelo pré-
natal, enxoval, roupas para a mamãe, quarto do bebê… parece muita coisa, e de
fato é.

Para que a maternidade não quebre suas finanças e se torne uma má lembrança,
separamos aqui algumas dicas financeiras, para te ajudar a encontrar o equilíbrio.

Organizando as Finanças durante a Maternidade

Se você está interessada nesse tema, certamente precisa arrumar suas finanças
antes da chegada de seu bebê.

Aqui vamos trazer dicas especiais para você se organizar nesse momento, fique
atenta a cada detalhe, afinal seu bebê merece o melhor.

Planejamento é essencial

O planejamento financeiro pessoal, é tarefa que devíamos aprender na pré-escola. É
preciso saber disso pois é com ele que você vai conhecer a sua realidade financeira.
O planejamento consiste em listar todos os seus compromissos financeiros, todos mesmo.

É hora de colocar a cabeça para pensar.

Você pode fazer uma tabela que contenha as seguintes informações:

  • Valor total do débito;
  • Valor da parcela;
  • Data de pagamento;
  • Quantidade de parcelas restantes;
  • Percentual em relação a sua receita ou entradas

Desta forma você vai preencher com todos seus débitos, e terá uma visão real de sua
saúde financeira.

No planejamento você conseguirá identificar além dos débitos, a sua natureza, ou seja, se era necessário, ou não, ter aquela prestação.

Este é um dos primeiros impactos na sua saúde financeira, aqui você vai se conhecer, pois é muito comum comprar sem pensar na real necessidade, principalmente quando é dividido em várias parcelas.

Neste momento preciso te alertar quanto ao uso do cartão de crédito, pois ele é muito bom quando se usa de forma adequada.

Os cartões de crédito possuem a maior taxa de juros do mercado financeiro, então só use
quando for necessário e somente no limite que pode pagar a fatura.

Outro ponto a considerar é o uso do limite do cheque especial, muitos usam porque o
salário cobre, mas não esqueça que tudo envolve juros.

Sei que não é fácil organizar contas na crise, sob pressão, porém lhe digo, que melhor
começar assim, que nunca fazer, sem falar que essa organização é necessária.

Outro ponto importante no planejamento é que você conhece bem as suas dívidas, veja a
seguir o que fazer com elas.

Se livre das dívidas

O que chamam de dívidas? Lembra quando falei da natureza do débito, pois as dívidas são compromissos que poderiam ter sido evitados.

Identificar as dívidas faz parte de seu planejamento financeiro pessoal, mas agora o que
você deve fazer.

Então alerta vermelho com as dívidas, a dica aqui é:

  • Fechar as portas para dívidas desnecessárias;
  • Se livrar de todas que são possíveis;
  • Troque dívidas caras por dívidas baratas.

Existem gastos que não fazem sentido, principalmente durante sua gravidez.

Se livrar de compromissos que não está lhe atendendo, por exemplo, aquela TV a cabo que você nunca tem tempo de assistir, mas já vem descontado na fatura do cartão. Ou até mesmo renegociar uma dívida que você está protelando há algum tempo.

Já em relação a trocar dívidas caras por dívidas baratas você deve estar se perguntando o que é. De forma simples, é identificar pendências com altas taxas de juros e substituí-la por outra menor. Uma forma é trocando a dívida do cheque especial por um empréstimo, por exemplo. Contudo, desde que as taxas estejam mais atrativas.

Feitos os cortes necessários, reorganizando as dívidas e não abrindo espaço para novos,
você verá seus recursos começarem a sobrar.

Consumo Consciente

Seria muito bom não precisar falar sobre isso com você, porém geralmente quem não faz
planejamento financeiro pessoal, gasta seus recursos de forma inconsciente.

Agora em sua nova fase de mamãe nada será igual, sua vida vai mudar e sua forma de
consumir também.

Veja que você já fez seu planejamento, identificou se os gastos eram necessários. Agora é necessário uma mudança. É você priorizar o que é necessário, no seu caso as coisas do
seu bebê.

Então todas as economias que resultaram de seus cortes, você vai usar para comprar as
coisas do seu bebê.

Um consumo consciente, faz você olhar para o futuro e evitar gastos que possam
comprometer sua saúde financeira no futuro.

Busque uma renda extra

Essa sempre é uma saída a ser considerada. Ao contemplar seu planejamento financeiro,
você pode se deparar com uma situação desconfortável.

Quando as dívidas passaram dos limites, você nem consegue respirar, ou de ter uma
despesa real tão alta que não sobre nada de recursos para os preparativos.

Um conselho é você buscar outra renda, algo extra que somar a sua receita. Porém temos um cuidado a ser considerado.

No período da gravidez, tem mulheres que devido às alterações hormonais ficam um pouco sensíveis, se esse for o seu caso, leia abaixo.

Uma renda extra não é aconselhável para mulheres que devido a gravidez estão sensíveis, isso pode prejudicar seu bebê. O bom mesmo é começar todo preparativo antes de engravidar.

Invista na educação financeira de seu filho

Seria muito bom ter essas informações antes de começar esse processo, mas infelizmente mais de 70% dos brasileiros não ligam para esse assunto.

Então que tal dar ao seu bebê o presente de desde cedo, ensine educação financeira, como parte importante na sua formação.
A grande maioria dos brasileiros não possuem uma qualidade de vida melhor por não ter
esse conhecimento.

Interessante que muitos querem aprender a ganhar o dinheiro, mas esses não entendem
que saber administrar, é tão importante quanto ganhar.

Hoje as escolas não tocam nesse assunto, nossos filhos chegam à vida adulta sem ter
esses conceitos, por isso, por amor aos seus filhos ensine educação financeira. Dê ao seu
filho este presente.

Considerações finais

Um momento especial, merece ações especiais. Aqui você aprendeu que sua qualidade de vida depende de sua vida financeira, viu também a importância do planejamento financeiropara lhe ajudar a sair da crise.

E lembre-se: todo esforço é válido para receber seu bebê. Planejamento financeiro é a parte mais importante para não ter dor de cabeça na gravidez.

Veja também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui