Como fazer o enxoval do bebê em meio a pandemia?

Enxoval do bebê
Imagem de Terri Cnudde por Pixabay

Assim como os chás de bebê e chás de revelação migraram para a internet, a compra do enxoval seguiu a mesma tendência.

Ainda não temos previsão para o fim do isolamento social por causa da pandemia do coronavírus. Como as gestantes fazem parte do grupo de risco (veja mais nessa matéria: Ministério da Saúde inclui gestantes e puérperas entram no grupo de risco para a covid-19), sair de casa para comprar o enxoval do bebê se tornou um risco.

Assim como os chás de bebê e chás de revelação migraram para a internet, a compra do enxoval seguiu a mesma tendência.

Mas é preciso ficar atento para não cair em ciladas, afinal é neste momento que os bandidos aproveitam para tentar lesar quem compra pela internet.

Para ajudar a fundadora da Ops!Cresci, aplicativo de e-commerce colaborativo especializado em artigos infantis, Natália Mennocchi, que por conta de uma gestação gemelar precisou desacelerar a partir da 26ª semana e recorrer à internet para deixar tudo pronto para a chegada de suas meninas, ajudou o Maternidade Moderna com algumas dicas para acertar em cheio no enxoval do seu pacotinho de amor. Confira as dicas:

1.      Faça uma lista objetiva

O primeiro passo, assim como no enxoval presencial, é definir a lista de produtos. Além das listas disponíveis na internet, vale a pena conversar com amigas que tiveram filhos recentemente para saber se todos os itens realmente são usados no dia a dia.

O mercado de produtos infantis lança produtos constantemente, mas nem todos eles são realmente essenciais.

2.      Invista nos seminovos

A tendência das mães de primeira viagem é querer comprar tudo novo. No entanto, quem tem filho sabe que o bebê cresce muito rápido e, muitas vezes, não usa tudo o que foi comprado.

Por isso, adquirir produtos seminovos acaba sendo uma excelente forma de economizar. A dica mais importante neste caso é fazer a transação por plataformas seguras que possam garantir a qualidade dos produtos e a devolução do dinheiro se a peça não for enviada.

Há diversos grupos de vendas entre mães nas redes sociais, mas é comum ver relatos de produtos que não foram enviados ou que chegaram em estado diferente do anunciado.

“Eu recomendo que a mãe compre de segunda mão tudo aquilo que estiver disponível e em boas condições, desde roupas até o carrinho”, diz Natália.

De acordo com a empresária, um dos itens usados que poucas mães pensam em comprar, por exemplo, é o macacão de maternidade. Como ele é usado apenas na maternidade e em poucas visitas, acaba sendo vendido em estado de novo.

3.      Pesquise a reputação das lojas

Se você não for comprar apenas em lojas com endereços físicos ou marcas famosas, investigue a reputação dos e-commerces no Reclame Aqui e nas redes sociais.

4.      Verifique as formas de pagamento

Ao acessar a loja, veja se as formas de pagamento estão de acordo com o meio que você deseja pagar. Observe se o site conta com cadeado na barra de endereços e selos de segurança. E em caso de pagamento com cartão, opte por gerar um cartão on-line para fazer a transação.

5.      Pesquise os preços

Um mesmo produto pode ter uma enorme variação de preço. Por isso, uma boa dica é recorrer aos sites de pesquisa de preço que permitem comparar valores e, inclusive, criar alertas.

6.      Utilize cupons de desconto

Muitas lojas virtuais oferecem cupons de desconto em suas redes sociais ou para a primeira compra feita pelo cliente. Certifique-se de aproveitar essas oportunidades.

7.      Confira o prazo de entrega

Algumas lojas de artigos de bebê contam com prazo de entrega superior a 30 dias por venderem produtos importados ou fabricados em cidades do interior. Por isso, verifique se o prazo faz sentido para a sua necessidade. 

8.      Economize no frete

O grande vilão das compras virtuais acaba sendo o frete. Por isso, faça as contas e tente concentrar as compras em poucas lojas. Verifique também aquelas que oferecem frete grátis a partir de determinado valor e as que permitem fazer a compra on-line com retirada na loja.

Enxoval

Roupinhas e sapatos de diferentes estilos, mantas, luvas para esquentar as mãozinhas, meias, mamadeiras, travesseiro, toalhas, fraldas de tecido, entre uma infinidade de outros itens que compõe o enxoval.

Junto também pode surgir a dúvida: “vamos mesmo precisar de tudo isso?” Nesta hora é preciso ter calma e consultar especialistas no assunto.

“Recomendo é que a gestante comece a montar o enxoval por volta de 20 semanas, para que tenha tempo de comprar tudo o que é necessário, antes que ela esteja se sentindo muito cansada e indisposta para fazer as compras”, explica Elaine Gouvêa, Personal Organizer especialista em Baby Planner.

Veja a sugestão de itens para o enxoval:

QuantidadeItemTamanho
4body manga longaRN
6body manga longaP
6body manga longaM
3body manga longaG
4body manga curtaP
4body manga curtaM
4calça (culote/mijão) com ou sem péRN
4calça (culote/mijão) com ou sem péP
6calça (culote/mijão) com ou sem péM
2camiseta manga longaP
2camiseta manga longaM
6camiseta manga longaG
3camiseta manga curtaM
2casaquinhoP
2casaquinhoM
3macacão longoRN
5macacão longoP
5macacão longoM
2macacão curtoP
2macacão curtoM
5pares de meiaRN
5pares de meiaP
5pares de meiaM
3sapatinho 
2touca 
4toalha banho 
4toalha fralda 
2vira de manta 
2cobertor 
2colcha/ edredom para berço 
3cueiro 
2babado para berço 
6fraldinha para boca 
6fralda de ombro 
2jogo lençol para berço 
2jogo lençol para carrinho 
2manta/ xale 
1mosquiteiro 
6saquinhos para kit de roupas 
2saquinho para lavagem de roupa delicada 
1trocador para levar na bolsa do bebê 
1bolsa de passeio 
1bolsa térmica de gel 
30cabides 
1almofada para amamentar 
1babá eletrônica 
6babador 
2balde para roupa 
1banheira 
1bebê conforto 
1pente /escova 
3sabonete líquido 
1* pomada para tratar assadura, se necessário 
2pacote algodão 
1caixa hastes flexíveis 
6saquinho para congelar leite 
1* mamadeira recém-nascido 
2jogo talher 
2prato 
3copo de transição 
1protetor de colchão 
1umidificador 
1inalador 
1carrinho de passeio 
1termômetro 
1termômetro de banho 
1tesoura/ cortador de unha 
1trocador para o quarto

*De acordo com a necessidade e orientação médica.

A sugestão é levar quatro trocas de roupa para o bebê com:

  • 4 macacões, 4 bodys, 4 calças ou mijões e 4 meias (organizados por dia dentro de um saquinho)
  • 2 mantas se for verão ou se for no inverno 1 manta e 1 cobertor
  • Luvinhas e touca se estiver frio
  • 4 toalhinhas de boca
  • 2 fraldas de pano
  • 2 toalhas fraldas (daquelas toalhas que tem a fraldinha dentro, são macias e não machucam a pele do bebê)
  • Se você achar necessário leve também peças avulsas. A sugestão é levar 2 bodys, 2 calças e 1 macacão extra para casos de emergência.
  • Saída maternidade, com macacão e manta

Os produtos de higiene do bebê geralmente são fornecidos pela maternidade. Se não for o seu caso, a dica é levar um sabonete líquido da cabeça aos pés para o banho e fraldas.

Para a mãe, a dica é colocar na mala:

  • Três pijamas ou camisolas, desde que sejam confortáveis e abertos na frente, para facilitar a amamentação;
  • Um robe e dois pares de meias, para aquecer os pés;
  • Dois pares de chinelo, sendo um de borracha para usar no banho e outro para andar pelo quarto;
  • Três sutiãs de amamentação, quatro calcinhas e roupa e sapato confortáveis para a saída da maternidade.
  • Uma necessaire com absorventes, shampoo, condicionador, hidratante para o rosto e corpo, sabonete líquido, desodorante (preferencialmente sem perfume), escova de dente, creme dental, pente e um secador de cabelos, caso a maternidade não forneça.

É importante salientar que tudo isso pode variar conforme o tempo de internação, tipo de parto e de recuperação da gestante

Veja também:

Acompanhe as notícias do Maternidade Moderna também nas redes sociais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui