Como ajudar seu filho a arrasar no vestibular

Vestibulando
Foto: Ilutração.

O apoio da família é fundamental para que o jovem passe pelo vestibular sem traumas.

Vestibular. Essa palavra vem assombrando seu filho ou sua filha? E também, claro, impacta toda a família, afinal, todos acabam envolvidos, de uma maneira ou outra.

É um período que costuma trazer algumas tensões e preocupações: qual curso fazer? Em qual instituição?

Gravitando ao redor dessas escolhas entram a preocupação com bolsa de estudo ou financiamento, mudança de cidade, o desempenho no ENEM e no próprio ensino médio. Ufa!!!

São muitas questões que desencadeiam a autocobrança do aluno e a dificuldade de ter um ambiente tranquilo para estudo. Some a isso a cobrança dos pais, aí é uma bomba relógio prestes a explodir.

Ficou apreensiva? Calma, nós do Maternidade Moderna consultamos especialistas e vamos ajudar você e a sua família a passar pelo processo.

Trajetória necessária

Conceitualmente, o aluno está sendo preparado para o vestibular ao longo de seu percurso na Educação Básica. Porém, as ações e atividades direcionadas para o ingresso na universidade devem começar mesmo no 1º ano do Ensino Médio.

“A antecipação desse direcionamento não é recomendável, uma vez que um adolescente de 13 anos ou menos ainda carece de recursos bio-psicológicos para responder satisfatoriamente a muitas das demandas cognitivas pertinentes ao preparo para os vestibulares”, explica Áurea Bazzi, coordenadora pedagógica do Ensino Médio, do Colégio Albert Sabin.

O preparo é uma construção que leva tempo e tem etapas. Quando o vestibulando se dá conta dessa trajetória e a percorre no tempo normal, a ansiedade e nervosismo baixam. “Muitas vezes o aluno se depara com um déficit em determinado conhecimento, mas outras vezes ele supõe que não sabe e fica com a sensação de menos-valia. É preciso reconhecer onde precisa melhorar e também reconhecer os pontos fortes”, ressalta o psicólogo Rodrigo Casemiro.

Pausa necessária

Uma etapa importante é o descanso, para o cérebro organizar as informações e conseguir assimilá-las. O vestibulando pode buscar esportes, viagens, passeios, jogos, atividades culturais. O descanso deve constar no cronograma de estudos.

“Praticar atividade física após os estudo é ótima estratégia para consolidar o aprendizado devido ao aumento da circulação sanguínea cerebral e ao aumento das catecolaminas, que são essenciais para a memória”, ressalta Rosana Cibok, psicóloga e integrante da equipe do Prof. Rogério Castilho.

Outro ponto importante é cuidar da qualidade do sono para diminuir o grau de irritabilidade causada pelo cansaço. Além de fazer uma alimentação de qualidade para que o cérebro não desperdice energia. Tomar muita água para estimular a comunicação entre os neurônios também é importante.

Frustração

Quando o vestibulando não consegue atingir o seu objetivo vem a frustração. Mas não se preocupe, além de normal, o sentimento é fundamental e necessário.

Vivemos numa época altamente competitiva, na qual os resultados muitas vezes são avaliados apenas pelos números.

“Dessa forma somos estimulados a evitar a frustração a todo custo, mas uma reprovação ou nota baixa trazem mais que aprendizado: trazem a experiência”, diz o psicólogo psicólogo Rodrigo Casemiro.

A oportunidade de lidar com a frustração ajuda a trabalhar a persistência, reconhecer a falibilidade, vivenciar a resiliência, correções de rota, autoestima e autoconfiança. É desta forma que as características de liderança e empreendedorismo são lapidadas.

O que alguns acreditam ser um mau resultado, na realidade é a oportunidade de um trabalho interno, psicológico, de amadurecimento e construção de sabedoria.

“Noto em alguns casos que esse momento costuma ser de balanço sobre a própria escolha. Pode acontecer um repensar sobre a própria vocação, já que em alguns casos, a escolha por uma profissão se dá cedo demais, sem saber muito sobre ela, e esse período pode servir para aprofundar a pesquisa sobre o curso e sobre a própria vocação”, completa Casemiro. 

Dicas preciosas

O Maternidade Moderna pediu várias dicas para especialistas. São ações e atitudes que podem fazer a diferença na hora do estudo.

A primeira e mais importante dica: a preparação requer antecedência e cronograma de estudos, para não causar estafa mental e o famoso “branco” na hora da prova. Ou seja, de nada adianta começar a estudar alguns meses antes das provas.

Durante os estudos o ideal é fazer pequenas pausas de 50 em 50 minutos, seja para ir ao banheiro, tomar água, um suco ou apenas para movimentar-se. As pausas fazem aumentar a concentração, com isso o rendimento e a assimilação melhoram.

Foco e produtividade

De acordo com o professor e Learning Coach Gilberto Augusto, fundador da plataforma Aprovação 360º, para conquistar um bom resultado no vestibular é necessário comprometimento e foco para conseguir aumentar a produtividade e diminuir a procrastinação. “A jornada rumo a aprovação em uma Universidade não pode ser vista como uma corrida de 100 metros, mas sim uma maratona de 50 km”, afirma Gilberto.

A maior dificuldade é quebrar a inércia comportamental, que nada mais é do que a repetição dos mesmos comportamentos que nosso cérebro já está habitualmente acostumado a fazer.

Se o aluno sempre estudou errado, nunca fez resumos, nunca os revisou, nunca fez uma quantidade fixa de exercícios, a tendência é que ele continue sem fazer. “No entanto, é possível mudar este mindset e construir um novo hábito de estudos. Para isso, existem muitas técnicas que podem e devem ser usadas para auxiliar este estudante durante este processo”, afirma o professor.

Mas como adquirir novos hábitos?

O primeiro passo para reprogramar o cérebro é identificar os indicadores chaves de performance (KPIs) em relação aos estudos: Quanto? Quando? Onde? Por onde? O quê? Como? E o mais importante deles: Por que?

Por meio do ‘por que?’ é possível entender qual é o propósito inabalável daquele estudante.

O jovem precisa ser forte para que ele não tenha tendência de trocar o plano A pelo plano B, ou seja, o caminho mais fácil. “Outro ponto fundamental é ter em mente: ‘Qual é o meu sonho?’, ‘Qual o significado dele?’ e ‘Qual o preço que estou disposto a pagar para alcançá-lo?’”, pontua Gilberto.

Confira dicas para o sucesso nos estudos:

Conheça o manual do vestibular e o conteúdo programático das disciplinas

Todos os grandes vestibulares e o ENEM divulgam com antecedência o seu manual e os conteúdos programáticos. É fundamental que o estudante conheça o que será cobrado na prova.

Defina uma meta diária

É preciso definir quantas horas por dia irá estudar, quais tarefas fará, materiais e métodos que serão usados para cumprir o programado. Mas não vá com muita sede ao pote: se o aluno não tem o hábito de estudar, não adianta fazer um planejamento de 8 horas para o primeiro dia. Ele não conseguirá cumprir e se frustrará. É preciso fazer a construção de um hábito, o que envolve um certo período de adaptação.

Organização

A organização dos estudos deve ter como premissa uma rotina diária de todas as disciplinas. Acorde já sabendo o que vai fazer. Isso aumenta a produtividade e o compromisso. Também diminui a procrastinação.

Local de estudo

O local de estudo deve ser um lugar tranquilo e aconchegante. TV, computador e o celular ligados retiram a concentração necessária para que o estudante possa absorver o conteúdo de forma integral durante os estudos.

Reserve um dia para ir para uma biblioteca ou centro de estudos, onde existam pessoas estudando. O ambiente vai influenciar a sua disciplina

Leitura das Obras Literárias

A leitura integral das obras literárias acompanhadas de comentários faz com que o estudante tenha realmente um conhecimento daquele livro. “Atualmente a existência de livros resumos dessas obras acabam por criar um verdadeiro Frankenstein, ou seja, a compreensão das obras acaba se tornando fragmentada. Fuja desses resumos”, recomenda Alexandre Claro Mendes, coordenador dos cursos de História e Ciências Sociais do Centro Universitário FMU.

Intensificar os estudos nos últimos meses

Mais uma dica é intensificar os estudos nos últimos meses. Se o jovem estudava, por exemplo, cinco horas por dia, a sugestão é intensificar para sete, oito horas, ou até mais.

O momento de reta final é de absoluta concentração.

Uma dica é estudar três assuntos com muita ênfase: produção textual, redação, matemática, linguagens, códigos e suas tecnologias. Em regra, essas provas são as que mais têm peso. “Agora, é preciso atentar-se ao que para o seu curso vale mais. No caso da medicina, por exemplo, em algumas instituições ciências da natureza tem mais peso”, explica o professor de Língua Portuguesa Carlos André, autor dos livros “A nova ortografia da língua portuguesa” e “Na ponta da língua”, Fundador do Instituto Carlos André

Manter-se atualizado

Nos principais vestibulares do país é muito comum a presença de questões de atualidades seja na área de geografia, história ou no tema da redação, sendo assim, o estudante deve estar preparado para esse tipo de pergunta realizando a leitura de jornais, revistas etc.

Use o melhor da internet

O uso da internet pode ser de grande utilidade para o estudante que está em fase de prestar vestibular. Na rede é possível assistir documentários, filmes e vídeo aulas, além de realizar simulados, conversar com outros alunos, por exemplo.

A internet é uma importante ferramenta de estudos, mas é preciso disciplina: o aluno não pode ser seduzido pelas redes sociais ou por assuntos que não seriam importantes nesse momento.

Saiba quais são os desafios da sua jornada e defina recompensas

O cérebro ama ter desafios, mas gosta também de uma recompensa. Então, se o desafio é estudar todos os dias, defina qual será a sua recompensa ao cumprir aquela meta diária. Pode ser encontrar alguém, assistir uma série que gosta por 30 minutos, sair para jantar, ir para a academia.

Acompanhe também as notícias do Maternidade Moderna no Facebook e no Instagram.

Voltar a página inicial.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui