Banco de leite humano: dificuldade ao acesso atinge 72% das brasileiras

Mesmo tendo uma das maiores redes de Banco de Leite Humano do mundo, Brasil sofre com escassez de unidades

O Banco de Leite Humano (BLH) tem como função promover o aleitamento materno todos os dias, e coloca em prática essa missão através da coleta, processamento e distribuição de leite humano a bebês prematuros e de baixo peso, além de atendimento de orientação e apoio às mães durante a amamentação.

A Rede Global de Bancos de Leite Humano Brasil (rBLH Brasil) foi estabelecida em 1998, por iniciativa do Ministério da Saúde e da Fundação Oswaldo Cruz. Segundo a rBLH Brasil, o País possui a maior e mais complexa rBLH do mundo, com 224 unidades distribuídas em todos os Estados do território nacional. Confira aqui a localização dos BLHs e postos de coleta.

Entretanto, de acordo com um estudo* publicado recentemente pela Famivita, 72% das brasileiras não têm acesso a um banco de leite humano em sua proximidade.

O Distrito Federal é o Estado em que mais mulheres possuem acesso a um banco de leite, (54%). O Estado do Piauí aparece na última posição do ranking, com o menor acesso a um banco de leite no País (16%).

Confira, no gráfico abaixo, mais informações sobre o estudo:

A importância do banco de leite humano

A rBLH Brasil é tão importante que já foi até reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma das ações que mais contribuíram para a redução da mortalidade infantil no mundo na década de 1990. De 1990 a 2012, a taxa de mortalidade infantil no Brasil reduziu 70,5%.

Um dos objetivos de um banco de leite humano é manter a amamentação exclusiva durante os seis primeiros meses de vida, conforme recomenda a OMS e o Ministério da Saúde. Porém, 31% das brasileiras não conseguem atingir o objetivo de amamentar seus filhos exclusivamente nesse período. 

Infelizmente, muitas de nós, mães, criamos aquela imagem romantizada da amamentação – e sofremos quando essa não é a nossa realidade.

A falta de orientação adequada para alcançar o sucesso na amamentação pode gerar alguns transtornos para a lactante, como dor, e ainda dificultar a pega pelo bebê.

Nesses momentos, é importante lembrar que o leite materno tem tudo que o bebê precisa para crescer saudável.

Para conseguir amamentar corretamente, as mães podem recorrer à uma consultoria de amamentação. A Famivita oferece esse serviço, e garante que faz toda a diferença, já que a lactante passa a ter acesso a profissionais especializados e experientes, por meio de consultoria 100% online e suporte pós-consulta durante 15 dias. Tudo isso, através de um processo muito rápido, e por um custo muito mais baixo do que as fórmulas e leites especiais.

Como doar seu leite

Na contramão dos dados acima, há também as mães que sofrem por ter as mamas cheias de leite, a ponto de sentirem desconforto durante as mamadas.

Se você, querida leitora, faz parte desse time, você pode se tornar uma doadora do banco de leite humano e ajudar a salvar vidas com o leite não consumido pelo seu bebê.

Você sabia?

Um litro de leite materno doado pode alimentar até 10 recém-nascidos por dia. A depender do peso do prematuro, apenas 1ml já é o suficiente para nutri-lo cada vez que for alimentado!

Se você quer doar seu leite, entre em contato com um banco de leite humano. Clique aqui e encontre o mais próximo de você. Lembrando que não existe quantidade mínima para a doação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui